Home/Sem categoria

O CCL – Centro de Congressos de Lisboa e a FIL – Centro de Exposições & Congressos de Lisboa foram os primeiros espaços dedicados aos eventos em Portugal e receber o selo “Safe Travels”.​

O selo “Safe Travels” certifica destinos e espaços que cumprem regras de higiene.

O CCL e a FIL são os primeiros centros de congressos, reuniões, exposições e eventos em Portugal a receber o selo“Safe Travels”, que reconhece um compromisso com a segurança.

A distinção, atribuída pelo World Travel & Tourism Coucil (WTTC), pretende certificar espaços dedicados aos eventos (Venues) que cumprem regras de higiene e segurança, transmitindo confiança aos participantes e visitantes.

Este reconhecimento surge após a análise das medidas implementadas relativas ao COVID-19. Para a WTTC, estes dois espaços cumprem as regras para que todas as pessoas “estejam em segurança e se sintam em segurança”.

De realçar que os protocolos emitidos pela WTTC são elaborados segundo as directrizes da OMS – Organização Mundial de Saúde e da CDC – Centers for Disease Control and Prevention.

Este prémio vem consolidar a nossa posição de líder no sector da Meetings Industry, premiando o esforço feito por todas as nossas equipas no âmbito da implementação  de um conjunto de normas que visam repor os níveis de confiança e segurança para os nossos colaboradores, clientes e visitantes.” – afirma o Jorge Rocha de Matos, Presidente da FUNDAÇÃO AIP, entidade detentora do CCL e da FIL.

O CCL – Centro de Congressos de Lisboa e a FIL – Centro de Exposições & Congressos de Lisboa foram os primeiros espaços dedicados aos eventos em Portugal e receber o selo “Safe Travels”.​2020-06-11T15:33:40+00:00

Entrevista de Rocha de Matos ao Dinheiro Vivo: IVA devia ser de 6% em todos os eventos para ajudar o turismo

A Fundação AIP é a proprietária de dois dos maiores espaços de realização de congressos e feiras em Lisboa – a FIL e o Centro de Congressos da Junqueira – e tem a seu cargo a organização de eventos, uma das áreas do setor turístico mais afetadas pela crise da pandemia. Rocha de Matos fala sobre os desafios do setor e da Fundação AIP.

Clique aqui para aceder à entrevista do Presidente da Fundação AIP ao Dinheiro Vivo

Entrevista de Rocha de Matos ao Dinheiro Vivo: IVA devia ser de 6% em todos os eventos para ajudar o turismo2020-06-08T11:44:10+00:00

FUTURÁLIA 2020 CANCELADA: FUTURÁLIA 2021 JÁ TEM DATA: 17 A 20 DE MARÇO

A Fundação AIP, enquanto entidade organizadora da Futurália, vem comunicar a todos os seus expositores, parceiros e visitantes, que devido à situação mundial que se vive atualmente com a pandemia do COVID-19 e seguindo as recomendações da DGS – Direção Geral de Saúde e da OMS – Organização Mundial de Saúde, entendeu cancelar a Futurália 2020, que estava prevista realizar-se de 13 a 16 de maio, na FIL – Feira Internacional de Lisboa.

Esta decisão resulta igualmente do comunicado do Governo, através do Decreto-Lei n.º 10 -A/2020, de 13 de março, que tendo aprovado um conjunto de medidas excepcionais e temporárias relativas à situação epidemiológica da doença COVID -19, entre as quais a suspensão das actividades lectivas e não lectivas presenciais, impossibilita não só a realização das habituais visitas de estudo como também, a participação e o envolvimento dos jovens e estudantes na Futurália 2020.

Como tal, após a auscultação de diferentes entidades e parceiros do evento, procedeu-se ao cancelamento da Futurália 2020 nesta data, existindo a certeza de que, no próximo ano, estarão reunidas todas as condições para a sua realização.

Assim, a organização informa que a Futurália 2021 se realizará de 17 a 20 de março, na FIL- Feira Internacional de Lisboa.

Conscientes do impacto desta decisão, não podemos deixar de agradecer mais uma vez, todo o apoio, compreensão e disponibilidade que nos foi manifestado pelos nossos clientes e parceiros. Estamos confiantes que, em conjunto, não só ultrapassaremos as dificuldades como seremos capazes de dar continuidade e manter o reconhecimento da Futurália como o maior evento de educação, formação e empregabilidade em Portugal.

FUTURÁLIA 2020 CANCELADA: FUTURÁLIA 2021 JÁ TEM DATA: 17 A 20 DE MARÇO2020-04-25T09:28:07+00:00

PORTUGAL ECONOMIA SOCIAL 2020 REMARCADO PARA 2021: DIAS 26 E 27 DE MAIO

A Fundação AIP, enquanto entidade organizadora do Portugal Economia Social informa que devido à situação mundial que se vive atualmente com a pandemia do COVID-19 e seguindo as recomendações da DGS – Direção Geral de Saúde e da OMS – Organização Mundial de Saúde, entendeu cancelar o Portugal Economia Social 2020, que estava previsto Save realizar-se de 13 a 14 de maio, no Centro de Congressos de Lisboa.

Esta decisão funda-se igualmente na necessidade que os agentes que operam no sector da economia social terem de estar absolutamente concentrados e disponíveis para prestar o apoio necessário, nomeadamente aos mais vulneráveis, na decorrência da pandemia do COVID-19.

Como tal, depois de auscultados os expositores e parceiros do evento, procedeu-se ao cancelamento do evento, existindo a certeza de que, no próximo ano, estarão reunidas todas as condições para a sua realização.

Assim, a organização informa que o Portugal Economia Social 2021 se realizará dias 26 e 27 de maio, no Centro de Congressos de Lisboa.

Conscientes do impacto desta decisão, não podemos deixar de agradecer todo o apoio que nos foi manifestado pelos expositores e parceiros do Portugal Economia Social e estamos confiantes que, em conjunto, será possível organizar um evento ainda mais decisivo para a promoção e realização de negócios no setor da economia social.

PORTUGAL ECONOMIA SOCIAL 2020 REMARCADO PARA 2021: DIAS 26 E 27 DE MAIO2020-04-08T11:00:00+00:00

PORTUGAL SMART CITIES SUMMIT TEM NOVAS DATAS

DE 22 A 24 DE SETEMBRO, NA FIL

O evento que reúne os principais players para debater o futuro das cidades inteligentes foi adiado para os dias 22, 23 e 24 de setembro, na FIL

Lisboa, 2 de abril de 2020 – A Fundação AIP, entidade organizadora das feiras da FIL – Feira Internacional de Lisboa, anuncia o adiamento do Portugal Smart Cities Summit, o evento que debate o futuro dos vários setores que compõem as cidades inteligentes, para 22 a 24 de setembro de 2020, na FIL.
Com previsão de se realizar de 6 a 8 de Maio de 2020, mas devido às circunstâncias atuais com impacto mundial, e seguindo as indicações da DGS – Direção Geral de Saúde e da OMS – Organização Mundial de Saúde, a Fundação AIP decidiu, em concordância com os parceiros deste evento, adiar a sua realização para uma altura que se espera mais favorável para a organização de eventos.
Assim, e após contatos estabelecidos com os parceiros e expositores do Portugal Smart Cities Summit, identificou-se o mês de setembro como o mês que constituía uma oportunidade alternativa à data habitual do evento, sendo assim possível reunir os players do setor, como as grandes empresas, startups, municípios, entidades académicas e de investigação e entidades públicas, com vista ao debate das Smart Cities do futuro. Em 2020 o evento tem enfoque na internacionalização e na saúde e bem-estar das populações nas cidades.
Com esta nova data ficam, assim, asseguradas melhores condições para o restabelecimento das dinâmicas de negócios e de promoção de produtos e serviços e igualmente para a participação de visitantes e oradores nacionais e internacionais.

PORTUGAL SMART CITIES SUMMIT TEM NOVAS DATAS2020-04-08T10:53:58+00:00

A 9º edição do Pet Festival foca-se no tema “Conservação e Preservação de Raças e Espécies”

A 9º edição do Pet Festival foca-se no tema “Conservação e Preservação de Raças e Espécies”

Festival da Família e dos Animais de Companhia realiza-se de 31 de janeiro a 2 de fevereiro de 2020, na FIL

O Pet Festival – Festival da Família e dos Animais de Companhia já tem data marcada para 2020: de 31 de janeiro a 2 de fevereiro, a FIL volta a ser o ponto de encontro dos amantes de pets. Para a 9ª edição, a organização escolheu um tema que pretende consciencializar os visitantes para as práticas de conservação e preservação adotadas pelos expositores do evento, ao nível de todas as espécies e raças.

Exemplo disso é o trabalho desenvolvido pelo CPC – Clube Português de Canicultura na promoção e divulgação das raças portuguesas. Em 2020, o CPC volta a participar no Pet Festival com um programa em grande parte dedicado às raças nacionais, com os clubes de raça presentes no evento. Desta forma, os visitantes poderão ficar a conhecer raças para muito desconhecidas e que enfrentam, atualmente, problemas de extinção. Tal como comunicado em 2019 pelo CPC, as raças portuguesas não estão “na moda” e o Pet Festival constitui, assim, uma plataforma para a divulgação das mesmas aos cerca de 40.000 visitantes esperados durante os três dias do evento.

Também a Mirmex, que se dedica ao estudo das formigas e que apresenta no Pet, pelo segundo ano, o formigário didático, tem como objetivo dar a conhecer o seu projeto de conservação e preservação de algumas espécies de formigas, que necessitam de ser preservadas pelo impacto positivo que têm no ecossistema do planeta.

Uma das novidades para a edição de 2020 é a presença da Ratz Fórum, um projeto que pretende dar a conhecer a ratazana doméstica enquanto animal de companhia. Esta comunidade portuguesa sobre a ratazana doméstica pretende desmistificar o preconceito em relação a este animal e informar o público sobre as características que tornam as ratazanas domésticas animais de companhia únicos.

O Passeio dos Exóticos e a Quinta Pedagógica serão remodelados, a nível de conceito e decoração envolvente, de forma a proporcionar uma relação de mais proximidade entre os visitantes e estas espécies – répteis e animais de quinta. Assim, serão dinamizadas ações de auditório explicativas sobre determinados animais, de forma a consciencializar o público para o trabalho desenvolvido por lojas e empresas na preservação e conservação das espécies, muitas delas já extintas se não fosse a criação em cativeiro.

O Pet Festival 2020 volta a ocupar dois pavilhões da FIL, com a presença de marcas de alimentação animal, lojas e áreas temáticas como a Vila do Cão, com multirraças, com o apoio da DOGS PT Magazine; a exposição internacional de Felinicultura, pelo Clube Português de Felinicultura; um ring de demonstrações de várias modalidades desportivas, aberto à participação dos visitantes, dinamizado pela escola de treino canino No Stress; o espaço da Animalife, com dezenas de associações de resgate animal, onde se promove uma adoção responsável e consciente; um auditório com programação variada, um espaço Grooming, em parceria com Carlos Alves, groomer português reconhecido internacionalmente; o Passeio dos Exóticos, espaço de répteis e pequenos mamíferos, o espaço Peixes e Companhia, dedicado à aquariofilia; o Templo das Aves, com o apoio do Clube Ornitológico Almadense; um Playground, onde os animais poderão brincar e interagir uns com os outros, e ainda uma zona de piquenique, conjugada com a Quinta Pedagógica, onde se encontram os animais de quinta.

O Pet Festival é reconhecido como maior evento de animais de companhia do país, reunindo, anualmente, cerca de 40.000 visitantes. Na 9ª edição, o horário é o seguinte: o Pet Festival estará aberto na sexta-feira, dia 31, das 10h00 às 23h00, no sábado, dia 1, das 10h00 às 23h00 e no domingo, dia 2, das 10h00 às 20h00.

A 9º edição do Pet Festival foca-se no tema “Conservação e Preservação de Raças e Espécies”2020-01-14T13:56:11+00:00

Intercasa de regresso de 9 a 13 de Outubro, com as principais tendências de Design e Decoração de Interiores

Evento reinventou-se e assume-se agora como Intercasa – Living & Design

O maior evento de decoração do país está de regresso à FIL, de 9 a 13 de Outubro de 2019. Seguindo uma lógica de reinvenção, mais cosmopolita e trendy, a Intercasa assume-se agora como Intercasa – Living & Design, um novo naming que traduz o posicionamento do evento. Uma transformação que reforça que a Intercasa não está igual, como explica Maria João Arruda, gestora da feira: “A verdade é que de ano para ano, a feira nunca foi igual, até porque o estatuto de principal evento de decoração do país não se consegue ficando parado no tempo, mas, em 2019 a Intercasa quis deixar ainda mais clara essa posição, trazendo novas propostas aos profissionais e visitantes do evento e assumindo-se a partir de agora como Intercasa – Living & Design”, conclui a gestora.

A COR…

O tema é intemporal: a cor, em todo o seu esplendoroso otimismo e versatilidade. A escolha desta temática foi óbvia pela sua omnipresença em todas as coisas da vida, pelo que a aplicação da cor na decoração será abordada em todos os trabalhos realizados no âmbito da Intercasa.

No que toca às embaixadoras, assumem esse papel Mafalda Galamas, autora do blogue Decoralista, que irá apresentar diferentes estilos de decoração e aconselhar os visitantes sobre cada um; Rafaela Garcez, organizer e consultora certificada KonMari™, o método criado por Marie Kondo – que se celebrizou com uma série na Netflix; e Vanda Boavida, consultora e professora de Feng Shui, que na última edição esteve presente no papel de consultora, garantindo à Intercasa o estatuto de primeira feira de decoração, em Portugal, certificada pelo Feng Shui.

Com novas áreas incorporados, a 43ª edição da Intercasa mantém o seu núcleo decorativo, com os Ambientes & Tendências no centro do pavilhão, espaços de decoração trabalhados por arquitectos e designers de interiores emergentes, onde os visitantes podem retirar ideias e inspirações para as suas remodelações e decorações da casa. Serão cerca de vinte espaços de Ambientes & Tendências, com apostas para decoração de salas-de-estar, escritório, cozinha, quarto de criança, quarto de adulto, jardim, etc. Em suma, haverá inspiração para todas as divisões da casa.

A complementar esta imagem de marca da Intercasa, adicionaram-se três novos espaços, que proporcionam uma experiência mais enriquecedora no evento: o Espaço LXD, o Espaço Vintage/Boho Chic e o Espaço Saiba na Hora.

O Espaço LXD, é um local assinado pelo Lisboa Design Show, que junta a comunidade de ensino na área do design, designers de produto de casa, marcas comerciais e indústria nacional, numa demonstração da melhor capacidade criativa e produtiva existente em Portugal. Nesta zona, que é simultaneamente uma área de exposição e uma mostra de peças, a inovação é rainha.

O Espaço Vintage/Boho Chic, como o próprio nome indica, é a zona onde se reúnem sugestões de decoração e peças para os amantes do estilo vintage, mas também para aqueles que querem uma casa descontraída, naturalmente chique e despreocupada, mas cheia de vida.

Já o espaço Saiba na Hora, tal como o nome indica, é onde o visitante poderá pedir esclarecimentos e aconselhamento profissional, em tempo real, para projectos de decoração e remodelação, onde especialistas de diferentes áreas (da jardinagem à carpintaria ou tecnologia) estarão disponíveis para ajudar os visitantes em consultas gratuitas de 20 minutos.

Estes novos espaços inovadores, como explica Maria João Arruda, reforçam que “A Intercasa – Living & Design não é apenas uma exposição de artigos e objectos de decoração de interiores, mas uma feira onde os visitantes se podem inspirar nos ambientes e tendências expostos e participar nos workshops sobre decoração, que respondem aos estilos de vida modernos e exigentes”.

O que não muda é que, ao longo de mais de 10 mil metros quadrados, continuam a reunir-se as últimas tendências de decoração de interiores, mobiliário, design, estofos e têxteis, ou seja, basicamente tudo o que é preciso para criar aquela casa de sonho, tão idílica como as das revistas e as das páginas do Instagram. Estas novidades estarão espalhadas ao longo dos três sectores fundamentais e habituais da Intercasa: Interiores & Exteriores, Remodelação e o sector, já mencionado, dos Ambientes e Tendências.

Workshops será também palavra de ordem na Intercasa 2019. No auditório da feira, intitulado Auditório Intercasa – Living & Design, a programação debruça-se sobre temas atuais e de grande interesse no panorama da decoração, não só para profissionais, mas também para o público que pode ter na decoração um hobby. Temas como o FengShui na decoração, como aplicar o método KonMari em casa, de Marie Kondo, como decorar e organizar um quarto de criança segundo o método de Montessori, como restaurar peças antigas e devolver-lhes uma nova vida na decoração do seu espaço ou as novas técnicas de macramé e o design sustentável, são apenas alguns dos exemplos dos workshops disponíveis nesta edição da Intercasa.

Já confirmado estão as Living Talks com as três embaixadoras do evento, no dia 12, sábado, às 16h00. Vanda Boavida, Rafaela Garcez e Mafalda Galamas irão falar, alternadamente, de temas relacionados com as suas áreas de atividade e que são do interesse do público.

A Intercasa 2019 decorre em simultâneo com o SIL – Salão Imobiliário de Portugal. Os bilhetes já estão à venda e podem ser adquiridos em www.tickets.fil.pt. Até aos 10 anos a entrada é livre e há vários packs com bilhetes de preço reduzido.
Mais sobre a Intercasa
A INTERCASA – Feira Internacional de Decoração de Interiores e Exteriores é um evento anual que decorre na Feira Internacional de Lisboa (FIL), destinado a profissionais do sector e público em geral. Em 2019, realiza a sua 43ª edição entre os dias 9 e 13 de Outubro, e assume-se como Intercasa – Living & Design dedicando-se às áreas fundamentais: mobiliário de interiores, decoração, iluminação, têxteis, jardinagem, Design de produto casa e produto casa Vintage, entre outros.

Intercasa de regresso de 9 a 13 de Outubro, com as principais tendências de Design e Decoração de Interiores2019-09-09T09:58:53+00:00

Alimentaria & Horexpo Lisboa regressa com oferta alargada e tendências do sector

A maior Plataforma de Negócios para os Sectores da Alimentação, Distribuição e Hotelaria em Portugal está de regresso a Lisboa nos dias 24, 25 e 26 de Março de 2019. A Alimentaria & Horexpo Lisboa 2019 vai dedicar 3 dias de evento a profissionais, trazendo temas actuais e novas abordagens aos desafios das empresas da alimentação, da restauração, da hotelaria e da indústria alimentar.

Produção nacional de qualidade, hotelaria e restauração do futuro, estilos de vida saudável, sustentabilidade alimentar, inovação e educação alimentar são alguns dos temas em destaque na próxima edição.

À semelhança dos anos anteriores, a Alimentaria & Horexpo Lisboa volta a afirmar-se em 2019, como a feira de referência para o mercado português e para os mercados de influência portuguesa, apresentando-se como um espaço de negócios e de networking de todos os profissionais do sector e também um palco aberto ao debate.  Além disso, promove a internacionalização e contribui para a dinamização das exportações do sector agro-industrial.

Esta edição, o Salão Internacional da Alimentação, Hotelaria e Tecnologia para a Indústria Alimentar apresenta três conceitos diferenciadores, as grandes novidades desta edição:

  • Alimentação Saudável > Espaço de exposição de marcas com produto posicionado no segmento alimentação saudável e orientado para a promoção junto dos agentes da distribuição alimentar, com vista ao aumento da disponibilidade de produto nos canais tradicionais, mas também, em ambiente escolar, laboral e em espaços públicos. Este espaço foi pensado em estreito alinhamento com o Plano Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável.
  • Alimentária LAB > É uma área onde o destaque vai para a inovação e investigação na indústria alimentar, na qual se dará a conhecer projetos, produtos, serviços e tecnologias, provenientes de universidades, start-ups e empreendedores. Terá ainda exposição e espaços de discussão e networking temáticos.
  • Origens > É o espaço onde por excelência se estabelece o contacto com os vários agentes do setor agroalimentar e, em especial, com os canais grande distribuição, restauração e hotelaria. Aqui será possível promover as nossas regiões e os seus produtos, contactar com novos players e/ou apresentar produtos de valor acrescentado, dinamizar apresentações de produtos, sessões de showcooking, exposição de projetos e sessões de degustação.

Uma feira, três salões, toda a oferta reunida

Em três dias de evento, a FIL vai concentrar no mesmo espaço a oferta e a procura da fileira da indústria alimentar, hotelaria e distribuição, onde cada salão, – Alimentaria Lisboa, Horexpo e Tecnoalimentaria – mantém a sua própria identidade e alarga a sua oferta de modo a facilitar e potenciar a realização de contactos e de transacções comerciais.

Esta oferta global vai, de igual modo, proporcionar às empresas participantes o acesso a um maior número de sectores da procura e, definitivamente, a mais clientes, uma vez que o leque de potenciais compradores é alargado, abrangendo profissionais da alimentação, da distribuição moderna e tradicional, das lojas especializadas, de restaurantes, de bares e, entre outros, de hotéis.

Para o visitante profissional será a oportunidade de aceder a um espaço que congrega a maior e mais completa oferta, um espaço capaz de responder a todas as necessidades.

  • A Alimentaria Lisboa reúne a oferta alimentar, organizada em torno de setores que representam a grande variedade da indústria de alimentação e bebidas. Conta com o apoio e colaboração de todos os canais de distribuição e canal horeca do País, oferecendo aos expositores e visitantes a oportunidade única de testar lançamentos, realizar contactos e entrar em novos mercados.
  • A Horexpo é o evento por excelência para o canal horeca em Portugal. Conta com a colaboração activa das associações mais importantes do sector. Apresenta uma oferta global com produtos que vão desde o têxtil, às porcelanas, cutelarias e aos equipamentos para cafés, bares, pastelarias, restaurantes e hotéis, reunindo as principais marcas internacionalmente reconhecidas no mercado.
  • A Tecnoalimentaria reúne a mais completa oferta de tecnologia e equipamentos para a indústria e distribuição alimentar. De caráter transversal, cobre todas as necessidades tecnológicas presentes na cadeia alimentar, desde os ingredientes até à embalagem, passando pela manipulação, transformação e distribuição comercial.
Alimentaria & Horexpo Lisboa regressa com oferta alargada e tendências do sector2019-02-25T12:48:48+00:00

8ª edição do Pet Festival com as 11 raças portuguesas em destaque

O maior festival que reúne comunidades de animais de companhia realiza-se de 1 a 3 de Fevereiro de 2019 na FIL

Está a chegar mais uma edição do Pet Festival, o maior evento de animais de companhia do país, que reúne todas as comunidades de animais, desde cães, gatos e pequenos mamíferos, a répteis, peixes, aves, cavalos e animais de quinta.

Sob o tema “Não à solidão, tenha um animal de estimação”, esta edição do Pet Festival continuará a focar-se na importância que os animais de companhia têm para as crianças, mas pretende também ser um factor de aproximação entre gerações, sendo extensível a toda a família, incluindo os mais idosos. O desafio do Pet Festival a todos os visitantes consistiu em reunir testemunhos de como o seu animal de companhia ajudou aos próprios ou a algum familiar a ultrapassar a solidão e o sedentarismo, histórias que serão expostas em murais espalhados pelo Festival.

As grandes novidades do Pet Festival 2019: 

  • Raças Portuguesas em destaque
  • I Concurso Internacional do Furão
  • I Photo Show Pet Festival
  • Pet Passerelle
  • Concurso de Dock Diving
  • Formigas de Estimação
  • I Pet Quizz Kids, concurso dedicado às crianças
  • Presença dos youtubers Gonçalo Pets e Viagem Animal.

O que se mantém: 

  • Treinos de Agility
  • Vila do cão com multi-raças
  • Concurso Internacional de Felinos
  • Acções de auditório lúdicas e informativas
  • Horse Model, com José Godinho e Repsol
  • Mostra de produtos alimentares e acessórios para os pets
  • Playground
  • Espaço para associações de defesa animal
  • Grooming
  • Espaço startups

O Pet Festival 2018 foi assim:

Os bilhetes para o Pet Festival, devido à afluência que anualmente se verifica nas bilheteiras, já se encontram à venda online em www.tickets.fil.pt.

Horários e Bilheteira Pet 2019:

8ª edição do Pet Festival com as 11 raças portuguesas em destaque2019-01-15T11:59:17+00:00

Sabe porque é que deve investir nos EUA, a maior economia do Mundo?

Realizou-se na passada terça-feira, dia 12, pelas 10h00, na Fundação AIP, o Seminário Como Fazer Negócios: EUA. Desafios e oportunidades, organizado pela Fundação AIP, com a colaboração da Câmara de Comércio Americana em Portugal (AMCHAM), o patrocínio da Euroatla e o apoio das Águas Fonte Viva, Capital Europeia do Vinho 2018 – Torres Vedras e Alenquer e Quina Vinhos.

Com a presença de 60 empresas portuguesas com interesse no mercado americano, Graça Dider, Secretária Geral da Câmara de Comércio Americana, acentuou a pertinência desta acção tendo em conta a visita do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do Primeiro-Ministro, António Costa, aos EUA, visita essa que contou com uma grande recepção por parte da comunidade luso-americana.

Esse é, aliás, um dos factores mais importantes do fomento da relação entre Portugal e EUA: as pessoas. Actualmente, existe cerca de um milhão e meio de portugueses e luso-descendentes nos EUA, uma relação que, na opinião de Graça Didier, não é aproveitada no seu total potencial: “Existem dois tipos de portugueses nos EUA”, explica, “os portugueses que já emigraram há mais tempo, a maioria das ilhas, mas também os novos emigrantes, mais qualificados, muitos deles que trabalham em Sillicon Valley, por exemplo”, ou seja, bons veículos para se perceber como funciona o mercado americano.

➡ EUA são o 5º país de destino das nossas exportações

As ligações económicas entre Portugal e os EUA têm um potencial de crescimento enorme: os EUA são o 5º país de destino das nossas exportações fora da comunidade europeia. Contudo, o valor dessas exportações é muito reduzido, o que até são boas notícias, de acordo com a Secretária Geral da Câmara de Comércio Americana: “significa que há ainda muita oportunidade de volume de exportação.”

O problema prende-se essencialmente com o pouco conhecimento que os americanos têm de Portugal, factor que pode constituir um entrave à exportação. Esta situação tem vindo a esbater-se nos últimos tempos, fruto do reconhecimento cada vez maior não só de figuras ilustres portuguesas, como António Guterres e Cristiano Ronaldo, como também de eventos internacionais de renome, como a Web Summit, e o papel do turismo no nosso país, distinguido com vários títulos a nível mundial. A realidade, realça Graça Didier, é que “depois de visitarem Portugal, os americanos levam consigo uma imagem de excelência do país”.

Assim, porque devem as empresas portuguesas investir nos EUA?

Primeiro, importa realçar que não existe um único mercado dos EUA! Ter este conhecimento intrínseco é muito importante na altura de delinear a estratégia de negócio para se entrar no país. Existem 50 mercados nos EUA. Porquê? Os EUA são um país muito heterogéneo, com culturas, religiões, ideologias e etnias diferentes em todos os estados. Ou seja, todos os 50 estados têm um público diferente. “Não podemos esperar vender botas de cowboy em Nova Iorque como vendemos, por exemplo, no Texas”, explica Graça Didier. Portanto, antes de se pensar em exportar um produto ou serviço para os EUA tem de se pensar para onde se quer exportar.

Outro facto muito importante sobre o mercado dos EUA: a concorrência! O mercado dos EUA, seja em que estado for, é altamente concorrencial, não só interna como também externamente. Assim, as empresas portuguesas interessadas em expandir-se para os EUA têm de ter uma estratégia diferenciador. “Nos EUA não se consegue combater pelo preço, isso não os conquista. Pela inovação, pela qualidade, pelo espírito empreendedor, isso sim!”, refere Graça.

Ana Gonçalves, Directora de Negócios da Euroatla, enumerou os produtos portugueses que mais são exportados para os EUA: produtos minerais e produtos químicos. Referiu igualmente o aumento da exportação de Wood Products como a cortiça (representam 6,3% do volume de exportações), assim como vinhos e papel de impressão.

Sobre o transporte dos produtos, particularmente em solo americano, Ana Gonçalves refere um assunto que está na ordem do dia: a crise dos camionistas nos EUA. “Mais de 70% das mercadorias são transportadas por via rodoviária. Como os camionistas têm de fazer grandes distâncias e passar muitos dias fora de casa, tem existido um aumento das exigências, um aumento da procura e também um aumento dos preços para este serviço”.

Presente neste seminário esteve também José Sanches, da empresa portuguesa Raimundo & Maia, que actualmente exporta para os EUA. “O mercado dos EUA é moroso de se entrar”, confidenciou, corroborando o que a Secretária Geral da Câmara de Comércio Americana, Graça Didier, já havia afirmado sobre o mercado, “ou se tem um produto diferenciador ou uma marca de cliente.” Neste caso específico, a Raimundo e Maia exporta leguminosas enlatadas com um factor diferenciador no mercado dos EUA (que já é corriqueiro em Portugal): as leguminosas estão em frascos de vidro, o que permite ao consumidor ver o que vai comprar. “Estamos presentes em ambas as costas mas a Costa Oeste é mais importante por causa da comunidade latina predominante, que consomem muito o nosso produto.”

“Se for bem trabalhado, [os EUA] é um mercado muito interessante pela sua competitividade”

José Sanches, Raimundo & Maia

A exportação de produtos alimentares de Portugal para os EUA tem crescido exponencialmente desde o último ano. Os vinhos, sobretudo, têm sido objecto de interesse por parte dos americanos, que consomem cada vez mais esta bebida.

➡ As vantagens e desvantagens de apostar no mercado americano

Os EUA são um mercado seguro, aberto, liberal, com fortes incentivos ao empreendedor, competitivo, que promove a inovação e a qualidade. É um mercado difícil, mas que, ao ser uma aposta bem-sucedida, é altamente recompensador.

Como todos os mercados, também tem as suas desvantagens. O facto de ser muito competitivo pode ser uma delas e os retornos do investimento não são imediatos, podendo passar-se muitos anos até se alcançar resultados satisfatórios. A sociedade americana é também muito litigante: qualquer coisa é motivo de processo judicial e a justiça nos EUA é muito cara, o que pode prejudicar seriamente uma empresa em processo de expansão. Existe também o Buy American Act, que se prende com uma questão cultural, presente no patriotismo tão conhecido dos americanos, que os leva a comprar sobretudo aquilo que é produzido no seu país.

“A Brisa está nos EUA há 10 anos. Só em 2016 tiveram um grande contrato. Estiveram lá uma década a estabelecer contactos”

Graça Didier, Secretária Geral da Câmara de Comércio Americana em Portugal

A conclusão que se retirou desta acção foi a de que o mercado americano é muito difícil, mas que compensa. Começar a exportar para os EUA é um salto qualitativo e quantitativo muito grande para qualquer empresa. Isto porque os valores de negócio normalmente são muito elevados e posteriormente porque anunciar que se tem negócios nos EUA é uma porta de entrada quase garantida para outros mercados.

No final houve espaço para um convívio, em que os participantes no Workshop fizeram networking e partilharam ideias, ao mesmo tempo que degustaram vinhos da Capital Europeia do Vinho – Torres Vedras e Alenquer e da Quina Vinhos.

Disponibilizamos aqui as apresentações em formato PDF da Câmara de Comércio Americana em Portugal e da Euroatla.

Próximas Acções

29 de Junho – 10h00 – Fundação AIP

Business Fórum Namíbia, com a presença de 36 empresas e entidades do país disponíveis para contactos bilaterais, dos mais diferentes sectores: indústria manufactureira, agricultura, logística e transportes, turismo, tecnologias e informação, energia, gestão de resíduos e construção.

Inscrições em breve.

Sabe porque é que deve investir nos EUA, a maior economia do Mundo?2018-06-15T11:57:29+00:00